quarta-feira, 8 de agosto de 2007

O OUTRO LADO




Tu não gosta de policia? Beleza. Mas já tentou ver o lado deles também?

-Muito bem cidadão, já que me rotulou “injustamente”, afirmo que não me enquadro na categoria que o senhor me colocou: estereotipado, bitolado, matador, coxinha, truculento, folgado, violento, raça maldita etc, pois:
“Até teria o direito, mas não vou, porém, rotulá-lo”.

-Desde quando nascem seus filhos, vocês o ensinam que somos o "Bicho-Papão", e depois o senhor fica chocado quando eles se identificam como meu maior inimigo: O CRIMINOSO, O MARGINAL!

-O Senhor cidadão é capaz de gastar uma hora para almoçar e interrompe o serviço para tomar muitos cafezinhos por dia, mas me considera um "Policial vagabundo e aproveitador" se paro pra tomar uma xícara de café.

-O Senhor cidadão se orgulha de seu refinamento primoroso, mas nem exita em interromper minhas refeições com seus problemas.

-O Senhor cidadão fica puto quando alguém o fecha no trânsito, para em fila dupla, estaciona em local proibido, faz manobras perigosas, mas se eu o pegar fazendo a mesma coisa, estarei lhe perseguindo.

-O Senhor cidadão conhece todo o CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO, porém, nunca porta os documentos obrigatórios e o desrespeita incontinente.

-O Senhor cidadão acha que é um abuso, eu dirigir minha viatura em alta velocidade, porque não tem ninguém de sua família sendo socorrido ao hospital, mas quando tu és a vítima, sobe pelas paredes se eu demoro 5 minutos para chegar na sua casa.

-O Senhor cidadão acha que faz parte do meu trabalho se alguém me fere, mas diz que é "truculência ou abuso da maldita polícia" como vocês nos denominam, se eu devolvo uma agressão seja em legítima defesa, ou seja, pra proteger a integridade física de alguma vítima da criminalidade desses marginais nefastos.

-O Senhor cidadão nem cogita em dizer ao seu dentista como arrancar um dente, ou seu médico como cuidar da sua saúde, mas está sempre me ensinando como é que devo aplicar a lei e fazer meu trabalho, mas nunca colabora em nada.

-O Senhor cidadão brada: "É preciso fazer algo para combater a violência" mas fica furioso se eu o arrolo como testemunha de algum fato que tenha presenciado, nem tão pouco colabora conosco.

RESUMINDO: O Senhor cidadão não vê utilidade para minha profissão, mas certamente ela se tornará valiosa se eu trocar um pneu furado de sua esposa, salvar seu filho com uma respiração boca-a-boca, ou trabalhe muitas horas extras procurando por sua filha que desapareceu.

Então, o senhor cidadão pode generalizar e dizer todos os apelidos possíveis, e até sentir ódio por nós Policiais, mas nunca se esqueça que sua propriedade, sua família, e até sua vida depende de mim e de meus colegas, e quando estiver em perigo, clamará por justiça, e chamará a Gloriosa Polícia.

Reflita muito, pois o que seria de vocês sem a Polícia.

Prazer cidadão, MESMO COM TODAS AS DIFICULDADES SOU UM POLICIAL COM MUITO ORGULHO...
←  Anterior Proxima  → Página inicial
Postar um comentário