terça-feira, 14 de outubro de 2008

COMBATENDO A PREGUIÇA



Agradecimentos ao www.metaexecutiva.com


1. Exercite-se


Você pode se sentir preguiçoso se não tiver energia suficiente para seu dia a dia. Uma rotina de exercícios físicos deixa o corpo disposto e alerta, menos propenso a ‘baixas’ energéticas.

2. Durma

Como você pode se sentir motivado e entusiástico se não dorme o suficiente? Problemas de sono muitas vezes decorrem de maus hábitos.

3. Determine um prazo curto para começar

A parte mais difícil de muitas tarefas é começar. Determine um prazo curto (5 a 15 minutos) para começar, de qualquer maneira. Se precisar refazer o início depois, o tempo necessário certamente será menor que a eterna protelação.

4. Visualize os benefícios

A preguiça se alimenta também da nossa visão do problema, e ver só as dificuldades da sua execução torna mais difícil começar a resolvê-lo. Imagine todos os benefícios que terá ao concluir seu dever, e será bem mais fácil colocar mãos a obra.

5. Estabeleça prêmios

Estabeleça para si mesmo um prazo para cumprimento da tarefa e um prêmio pela sua consecução. Entra como um bônus no pacote de benefícios.

6. Pense nas conseqüências do não cumprimento

Outro motivador para se vencer a preguiça é visualizar as conseqüências negativas de se entregar à inércia. Se os benefícios não são o suficiente para motivá-lo, pense no prejuízo financeiro, profissional ou emocional que vai ter se não fizer o que deve.

7. Encontre parceiros.

Todos nós temos baixas em nossa motivação, e pessoas com interesses em comum podem ser o melhor apoio quando a vontade própria não é o suficiente.

8. Divida a tarefa em partes administráveis

Às vezes, a visão obscura que temos de um problema nos impede de definir por onde começar. Se está diante de uma questão complexa ou trabalhosa, divida o processo em etapas menores, administráveis, com prazos para início e conclusão para cada uma.

9. Faça uma coisa de cada vez

Não é da nossa natureza (embora esteja se tornando de nossa cultura) ser multi-tarefa. Organize seu pensamento e dedique-se a uma tarefa de cada vez. A concentração beneficia enormemente a criatividade e nosso potencial para resultados.

10. Descreva seu processo

Você se sentirá mais motivado se perceber com clareza como sua produtividade varia de acordo com a freqüência com que se entrega à preguiça. Uma maneira de visualizar este processo é registrar seu progresso diariamente, anotando quantas metas de propôs, quantas atingiu e como foi seu estado energético e emocional neste dia.

11. Lembre-se do que realmente interessa.

A preguiça se alimenta de desculpas que damos a nós mesmos: ‘é muito cedo’, ‘é muito tarde’, ‘estou muito cansado’, ‘eu mereço esta folga’. Ás vezes realmente é verdade, e precisamos relaxar e descansar o corpo. Mas há uma voz interna, auto-crítica e ciente de nossos estados emocionais, que nos diz se estamos realmente cansados ou nos entregando à preguiça.

Nas horas críticas, esta voz é a nossa mais sábia conselheira.
←  Anterior Proxima  → Página inicial
Postar um comentário