domingo, 2 de janeiro de 2011

TROQUEI DE MOTO



E como peguei uma moto mais velha, (CBX 750 ano 90) as "aventuras" ja começaram:

Aliás, com minha proverbial "sorte" tinha que dar tudo errado mesmo: Vamos por partes:

1 - Após remendar a elétrica e tirar uma vazamento da torneirinha, sai pra testar a moto. Estava quase anoitecendo. Desci o morro.

2 - A moto morreu, no plano, em um vale, e eu sabia que provavelmente a bateria não ia girar o motor (Ta fraca).

3 - Dei na Partida, A moto APAGOU TOTAL! (Detalhe: Não tenho uma alma pra me ajudar a guinchar, se precisar)

4 - Tive que ir a pé em casa, buscar o carro e fazer ligação direta na bateria. Nada de acender.

5 - Por sorte, localizei um mal contato no motor de arranque. A moto acendeu, mas ainda não pegava.

6 - Desconfiei da torneirinha, pois havia acabado de mexer nela. Toca tirar o tanque.(pesadão)

7 - De fato estava obstruida. A moto pegou e eu corri pra casa. Mas no caminho ja notei que estava sem seta, buzina, ou luz de freio. Ao chegar em casa, notei que a luz de estacionamento também tinha ido pros quiabos.

8 - No dia seguinte resolvi tudo: A Seta/buzina/luz de freio compartilham o mesmo fusível (Está no manual), que estava queimado, embora não parecesse.

9 - A Luz de estacionamento padecia de uma combinação de fusível com mal contato a falta de aterramento.

Resumo da ópera. Eu mexi na torneirinha, ela deu falta, daí a moto apagou na pior hora e lugar possíveis. Fui dar a partida e um mal contato no motor de aaranque apagou tudo, queimou o fusível da seta/buzina/luz de freio, e também gerou um mal contato fatal na luz de estacionamento.

Sortudo eu, né?

Agora é lei. Teste na moto, só morro acima. Se apagar, é so descer.
←  Anterior Proxima  → Página inicial
Postar um comentário