quarta-feira, 18 de maio de 2011

PROTEGENDO SEUS DADOS PESSOAIS E BANCÁRIOS




Não me refiro a aqueles pequenos quadradinhos com furinhos pretos que significam números e que a gente vicia pra ganhar grana naquela roda de carteado de octogenários promovida por sua avó. Falo das informações essenciais sobre sua pessoa, que lhe permitem fazer operações da vida cotidiana e nos diferencia dos Orangotangos (E você pensando que o que nos diferenciava dos macacos era o Telencefalo altamente desenvolvido e o polegar opositor).

Seus dados são você ou até mais que isso, pois seus dados podem funcionar sem você (Afinal basta um falsário qualquer dizer que é você), mas você mesmo não faz nada sem seus dados, ou será que dá pra tirar um troco do banco sem a senha?

Mesmo sendo tão importantes, por alguma síncope de idiotice ou simplesmente desconhecimento da importância dos dados pessoais, quase todo mundo sai falando seus dados para todo mundo. Se te ligam e dizem que você foi sorteado em uma promoção da Mesbla (loja que nem existe mais e na qual você nunca entrou na vida), você, como bom imbecil que é, já sai dando o número do RG. Se te ligam e dizem que você ganhou um celular grátis (Celular grátis não existe. Coisa que nós dois estamos carecas de saber) você já passa, por telefone mesmo, CPF e endereço e depois reclamada que te mandaram um cartão de crédito com uma anuidade tão alta de daria pra comprar um Crossfox Zero kilômetro.

Eu não sei você, mas eu, quando estou em um caixa eletrônico desconfio até da minha sombra porque ela é preta e só anda pelos cantos. Quando for tirar grana ou mesmo conferir (a falta de ) saldo, não fale com ninguém, não olhe para ninguém, não deixe ninguém se aproximar e principalmente, não aceite ajuda de ninguém que você já não tenha visto antes no banco atendendo no caixa. O cara estar bem vestido, te mostrar um crachá e dizer que é o gerente do banco não prova que ele é honesto, afinal quantos bancos vão pagar milhares de reais de salários e treinamento para gerentes e deixa-los atendendo no caixa eletrônico? A paranóia é sua amiga número um. Cultive-a com carinho, e quando você já estiver desconfiando até daquela menininha de vestidinho rosa com o boneco do ursinho carinhoso nas mãos, então você estará (Quase) seguro. Desconfie de todos, inclusive de mim.

Não forneça dados por telefone, não forneça dados por e-mail, não forneça dados pessoalmente, enfim... Pegue todos os seus dados pessoais, coloque em um cofre, de a chave pro pitbull mal encarado do seu vizinho comer, e faça o possível para esquecer dos dados. Se o cachorro morrer, exija que o mesmo seja cremado (E faça o serviço pessoalmente, se possível), mas aconteça o que acontecer, seja em caso de desastre mundial ou Reeleição do tiririca JAMAIS FORNEÇA SEUS DADOS A TERCEIROS.

A não ser que você goste de receber cartões de crédito que nunca viu, com faturas na casa dos dois dígitos, pagar contas alheias, comprar produtos sem ter pedido por eles, receber quinqulharias coradas a preço de ouro, virar persona non grata no SPC, e mais uma paulada de coisas que acontecem com quem tem dados demais e inteligência de menos.

Gora caso não concorde com o que eu falei, favor postar seus dados financeiros e bancários nos comentários abaixo. Provavelmente farei uso deles muito melhor que você, cabeção.
←  Anterior Proxima  → Página inicial
Postar um comentário