quinta-feira, 28 de agosto de 2014

OS 10 MAIS CONHECIDOS ASSASSINATOS DE FAMÍLIAS




Os assassinos de famílias podem ser alguém da própria família que resolve matar alguns, ou todos os membros de suas famílias. Assassinatos em massa são crimes trágicos por definição, mas quando uma pessoa extermina toda a sua família é algo absolutamente devastador. Estes crimes diabólicos são realizados por diversos tipos de pessoas que podem ter diferenças entre si, mas tem em comum o fato de serem doentes. Como esta lista irá mostrar, os assassinatos acabam acontecendo por diversos motivos ou até mesmo por motivo nenhum. Esta é uma lista com 10 dos assassinatos mais brutais e hediondos já conhecidos, que massacraram famílias inteiras.

1 - Steven Sueppel

Na cidade de Iowa, o ex- executivo bancário Steven Sueppel foi acusado de desviar mais de US $ 500.000 de seu banco. Ele não se declarou culpado e foi solto sob fiança, então, em algum momento entre a noite do dia 23 e a manhã do dia 24 de marco de 2009 Sueppel decidiu que este seria o fim da linha para sua família.

Primeiro, ele bateu em sua mulher Sheryl até a morte com um taco de beisebol, depois levou seus quatro filhos adotivos - Ethan  10 , Seth  8, Mira 6  e Eleanor, de 3 anos de idade para a garagem e tentou envenená-los com monóxido de carbono do escapamento do carro. Quando isso não funcionou , ele surrou as crianças até morte da mesma forma que havia feito com a mãe delas, pouco antes.

Sueppel dirigiu até um parque próximo e, sem sucesso tentou se matar. Ele, então, chamou a polícia para ir ao seu endereço, mas ao invés de se entregar pacificamente, fugiu com seu carro até bater em alta velocidade em um pilar de concreto na rodovia Interestadual 80 e morrer.


2 - Bruce Blackman
 No final de 1982, aos 22 anos de idade, Bruce Blackman tinha acabado de deixar o emprego como lixeiro de meio período e estava fazendo um curso para se tornar um construtor de moinhos. No entanto, seu colega de quarto começou a perceber que  seu comportamento estava estranho. Blackman disse que estava recebendo mensagens da Bíblia, e ele estava convencido de que o mundo estava acabando. Na madrugada de 18 de Janeiro de 1983, Blackman foi para a casa de seus pais em Port Coquitlam, Columbia Britânica. Uma vez lá, ele atirou em seus pais, no seu  irmão de 16 anos, em sua irmãs de 25 e 28 anos de idade e no seu meio-irmão. Suas irmãs mais velhas não viviam na casa, mas tinham sido chamadas lá para discutir algum problema desconhecido. Estranhamente, seis das sete pessoas mortas estavam vestidas com suas roupas do dia a dia apesar de tudo ter acontecido bem antes do amanhecer. (Blackman tinha outro irmão e irmã, mas eles viviam em outras cidades mais distantes e foram felizmente poupados do massacre.) Blackman foi preso e, eventualmente, considerado inocente por razões de insanidade. Ele foi liberado do hospital psiquiátrico em 1995, com um registro limpo e uma nova identidade.

3 - James Dunham
 Em 1895 o diarista James Dunham casou-se com a aristocrata Hattie Wells. Eles se mudaram para a casa do padrasto de Hattie e ela rapidamente ficou grávida. Em 06 de maio de 1896, ela deu à luz um filho. Sob qualquer ponto de vista, Dunham foi um marido horrível e péssimo pai. Ele tinha uma relação terrível com seus sogros e até ameaçou processá-los. Na realidade, porém, ele tinha planos diferentes para eles. Na noite de 26 de maio de 1896, Dunham entrou em casa tarde da noite com um machado. Iniciou-se em uma discussão tão ruidosa entre Dunham e sua esposa, que fez a empregada sair da cama para investigar. Quando isso aconteceu, Dunham matou a empregada com o machado e, em seguida, quebrou o pescoço de sua esposa com as próprias mãos. A Sogra de Dunham também veio ver o que estava acontecendo e também foi abatida com o machado. Enquanto esperava os homens da casa retornarem, Dunham recolheu todas as suas coisas, inclusive as fotos em que aparecia. Quando o irmão e o padrasto de Hattie chegaram, Dunham atirou neles. Ele procurou um outro rapaz, que estava hospedado na casa, mas não conseguiu encontrá-lo e fugiu do local. Um empregado da casa e o filho de três semanas de idade de Dunham foram os únicos sobreviventes. Após os assassinatos Dunham fugiu na noite e nunca mais foi visto.

4 - Jose Antonio Suarez
Em 23 de Abril de 1966, um síndico de Nova York deparou-se com uma cena macabra depois de entrar um apartamento em um edifício onde trabalhava. Lá ele encontrou Maria Rivera Torres e seus cinco filhos, com idades variando de 11 meses a 5 anos de idade, mortos a facadas. A polícia localizou o único membro da família que ainda estava vivo - o pai de quatro das cinco crianças, Jose Antonio Suarez. No começo, ele alegou não ter conhecimento dos crimes e foi libertado, mas ele foi preso novamente e, eventualmente, confessou o assassinato. No total, Suarez passou 49 dias na prisão pelo crime. Ele foi libertado quando a Suprema Corte de Nova York entendeu que sua confissão não era admissível, porque ele não foi informado dos seus direitos constitucionais quando estava sendo preso. Uma vez que a confissão era a única peça de evidência ligando-o ao crime, a promotoria não tinha provas suficientes para voltar a julgar o caso assim que foi solto e nunca mais acusado pelo massacre.

5 -Christian Longo
 Quando Christian Longo conheceu sua esposa, Mary Jane, era uma história de amor ideal Testemunhas de Jeová, eles se conheceram na igreja e Christian começou a fazer proselitismo de porta em porta com Mary Jane. Eles ficaram noivos, mas antes que pudessem se casar, Christian foi pego roubando de seu empregador, e eles não foram autorizados a se casar dentro do Salão do Reino das Testemunhas de Geová. Em vez disso, um ministro os casou em um ginásio em Março de 1993. Em 1997, eles tiveram seu primeiro filho, Zachary, seguido por uma menina chamada Sadie Madison em 1998 . Em 1999, Mary Jane deixou o emprego e começou a vida que ela sempre sonhou - ser mãe em tempo integral e mulher. Christian parecia querer o melhor para sua família, mas ao invés de trabalhar duro para isso, ele começou com falsificação de cheques e roubou uma minivan. Ele também contraiu dívidas sob um nome falso e começou a vender equipamentos de construção roubados. Ele acabou sendo preso e expulso das Testemunhas de Jeová. Ja em liberdade condicional, Longo vendeu seus bens e fugiu com sua família. No entanto, por causa de seus gastos extravagantes na fuga, a família ficou sem dinheiro, e Longo conseguiu um emprego em um Starbucks em Newport, Oregon. Mais uma vez, ele começou a viver acima das suas possibilidadesalugou um apartamento de luxo por US $ 1200 por mês, que era exatamente seu salário no Starbucks. Em 19 de dezembro de 2001, o corpo de 5 anos de idade, Zachary apareceu nas margens da Baia de Yaquina. Pouco tempo depois, Sadie 3 anos de idade, foi encontrada morta. Segundo a autópsia, as crianças se afogaram. Os corpos de Mary Jane e de Madison também foram encontrados em malas na mesma baía. Mary Jane havia sido espancada, e o menino tinha sido estrangulado até a morte. No dia em que os últimos corpos foram encontrados, Longo embarcou em um avião indo de San Francisco para Cancun, no México. Longo foi colocado na lista dos 10 mais procurados do FBI e foi reconhecido por uma mulher que se hospedara no mesmo albergue que ele. Ele foi preso pouco tempo depois e extraditado para os Estados Unidos. Longo declarou-se culpado pelo assassinato de sua esposa e sua filha de  2 anos de idade, mas não assumiu a culpa por assassinar os outros dois filhos. Se assassinar sua família a sangue frio não fosse ruim o suficiente, sua estratégia de defesa foi excepcionalmente hedionda. Durante o julgamento, e na frente da família de Mary Jane, Longo afirmou que Mary Jane matou os dois filhos mais velhos, jogando-os em cima da ponte e estava tentando estrangular seu filho caçula. Ele a matou em um ataque de raiva. Em seguida, foi forçado a matar Madison, porque achou que ele teria sido permanentemente marcado, tanto física como mentalmente, a partir daquele evento horrível. O júri não se convenceu sua história, e ele foi condenado por assassinato em primeiro grau de ambos, Zachary e Sadie. Longo foi condenado à morte por injeção letal. Como uma maneira de obter de volta aos holofotes, ele iniciou uma campanha para que seus órgãos sejam doados, quando ele for executado.

6 - Marcus Wesson
 Em 12 de março de 2004, em Fresno Califórnia, Marcus Wesson estava envolvido em uma negociação policial de reféns em sua casa devido a uma denuncia sobre abuso de crianças. Ele foi acusado de ter relações incestuosas com as suas filhas menores de idade e sobrinhas que produziram filhos. Há histórias conflitantes em relação ao impasse com Wesson. Ele estava cooperando com a polícia durante a negociação e foi autorizado a voltar e entrar na casa. A polícia diz que não havia nenhum barulho quando ele entrou na casa, enquanto outras testemunhas disseram ter ouvido tiros. Quando a polícia após algum tempo entrou na casa, eles encontraram nove corpos; todos eles de membros da família de Wesson. Uma das vítimas tinha 25 anos de idade, outra tinha 17 anos de idade e as outras sete vítimas eram todas menores de 9 anos. Foram todas mortas a tiros, e os corpos estavam enredados no chão. Wesson foi preso depois que a polícia entrou na casa. Wesson acusou sua filha Sebhrenah, de 25 anos de cometer os assassinatos antes de se matar. Ele foi considerado culpado em nove acusações de assassinato em primeiro grau e 14 acusações de agressão sexual. Wesson foi condenado à morte e sua pena foi executada em 27 de junho de 2005 na Prisão de San Quentin.
  
7 - Mark Orrin Barton   
Em 1993, Mark Barton estava tendo um caso extraconjugal com Leigh Ann Vandiver. Em 5 de setembro, deste mesmo ano, a esposa de Barton, Debra Spivy, e sua mãe, Eloise foram encontrados espancadas até a morte em uma caverna em Cedar Bluff, Alabama.     Barton foi o principal suspeito, mas nunca foi acusado por falta de provas. Em 1995, ele se casou com Leigh Ann. Seguro de sua esposa foi pago, mas Barton gastou os US $ 105.000 em dois meses após e ficou seriamente endividado. Em 27 de julho de 1999, ele bateu em sua esposa Leigh Ann até a morte com um martelo antes de fazer o mesmo com seus dois filhos Matthew, de 11 anos, e Mychelle, de 8. No dia seguinte, Barton foi para o seu trabalho na empresa Securities Momentum em Atlanta, e enquanto espera para falar com o gerente, conversou um pouco com os seus colegas de trabalho antes de retirar duas armas e dizer: "É um dia de negociação ruim, e só vai piorar." Barton então abriu fogo, matando mais quatro pessoas. Os sobreviventes fugiram do local e chamaram a polícia, mas Barton conseguiu passar para o prédio do outro lado da rua, onde fez reféns. Ele até o escritório do gerente, e novamente abriu fogo matando mais cinco pessoas. Ao todo, ele conseguiu matar 12 pessoas - incluindo sua família, e ferir mais 13. Barton, que surpreendentemente escapou da polícia novamente, pegou como refém uma adolescente em um shopping algumas horas depois. Ela escapou e chamou a polícia. Barton fugiu em sua van, e quando a polícia o cercou, ele virou a arma contra si mesmo e atirou. Durante toda a confusão, Barton fez questão de negar até o fim que ele não matou sua primeira esposa e sogra, apesar de usar os mesmos métodos para assassinar sua segunda esposa e seus filhos.

8 - James Ruppert
 James Ruppert era o completo oposto de seu irmão mais velho Leonard. James estava desempregado, tinha problemas com bebida e morava com a mãe. Em contrapartida, Leonard trabalhou na General Motors e era casado. Eles teve oito filhos. No domingo de Páscoa de 1975, a mãe de James, Charity Ruppert, estava promovendo uma caça aos ovos de Páscoa para seus netos em sua casa em Hamilton, Ohio. James estava de ressaca e saiu da cama às 4:00 da tarde. Ele se armou com três pistolas e um rifle e foi até a cozinha, onde sua mãe e Leonard estavam preparando o jantar. Uma vez na cozinha, James matou Leonard com um tiro antes de virar a arma contra sua mãe. Ele então foi até os outros cômodos da casa e atirou em cada um de seus sobrinhos e sobrinhas, que variaram em idade entre 4 a 17 anos. James aparentemente atirou nas crianças primeiro para mutila-las antes de mata-las com um tiro na cabeça. Ao todo o massacre durou cinco minutos. Ele esperou três horas antes de telefonar para a polícia e se entregou pacificamente. Foi considerado culpado pelo assassinato de seu irmão e sua mãe e teve duas penas de prisão perpétua consecutivas. Ele não foi considerado culpado por razões de insanidade pelos outros nove assassinatos. Atualmente  Ruppert está cumprindo suas sentenças na Allen Correctional Institution em Lima, Ohio.
  
9 - Ronald Gene Simmons
 Em 22 de dezembro de 1987, Ronald Gene Simmons começou um tumulto em Dover, Arkansas que tirou a vida de 16 pessoas, incluindo 14 membros de sua família. Primeiro, sem que ninguém soubesse, ele matou seu filho, Gene, e sua esposa, Rebecca, atirando neles. Em seguida, ele estrangulou sua neta de 3 anos de idade, Barbara. Simmons disse ao resto de sua família que tinha presentes para eles e queria dar-lhes um para cada separadamente. Desta forma, ele foi capaz de matar seus quatro filhos restantes Loretta, Marianne, Eddy e Becky - sozinho. Ele se afogou-os, mantendo a cabeça sob a água em um tambor de chuva fora da casa. Simmons escondeu os corpos em uma fossa (buraco de esgoto) que ele tinha forçado seus próprios filhos a cavar. Em 26 de dezembro, o resto de sua família chegou para uma visita de Natal. Ele atirou e matou seu filho Billy e sua esposa Renata antes de estrangular seu outro filho, Trae. O próximo membro da família a visita-lo foi sua filha Sheila, que ele havia abusado sexualmente quando mais nova. Sheila e seu marido Dennis McNulty foram ambos mortos a tiros. Simmons então começou a estrangular a neta Sylvia Gail, de 7 anos que era fruta de uma relação incestuosa entre ele e sua filha Sheila. Finalmente, ele se afogou seu neto, Michael de 21 meses de idade. Ele alinhou todos os corpos na sala da casa, então foi a um bar e bebeu. No dia seguinte, ele estava sentado em casa com os falecido e bebendo cerveja enquanto assistia TV. Em 28 de dezembro, Simmons foi a um escritório de advocacia em Russellville onde matou Kathy Kendrick, uma mulher que o havia rejeitado. Ele então se dirigiu para uma empresa de petróleo, onde matou um funcionário chamado JD Chaffin e feriu o proprietário. Simmons foi então a uma loja de conveniência, onde trabalhava, e feriu mais duas pessoas após o que fez mais uma parada em uma empresa de transporte onde ele feriu outra mulher. No final de sua fúria, ele calmamente falou com a secretária enquanto esperava a polícia chegar. Simmons se rendeu pacificamente. Simmons foi condenado à morte e se recusou a recorrer da sentença. Ele foi executado por injeção letal em 25 de junho de 1990 com 49 anos.
10 - Ronald "Açougueiro" DeFeo, Jr.
Ronald "Açougeuro" DeFeo, Jr., de 23 anos, era conhecido por ter um temperamento violento e uma relação volátil com seu pai. Defeo Sr. enviou Butch a um psiquiatra, mas ele parou de ir. Eles tentaram acalmar seu filho, dando-lhe presentes caros, como uma lancha e um carro. Butch ganhou até mesmo um emprego na concessionária de carros da família, em que ele era encarregado de fazer depósitos bancários semanais de $ 20.000 dólares. Pouco antes de assassinar sua família, ele e um amigo supostamente roubaram US $ 20.000. Embora ele nunca tenha sido acusado, ele era o principal suspeito no roubo, tanto pela polícia quanto por sua família. Às 3:00 em 13 de novembro de 1974, Butch pegou um rifle e atirou em seus pais, Ronald e Louise, duas vezes. Ele então matou cada um de seus irmãos com um único tiro. Foram mortos, Allison, 14 anos, Marc, 12, e João Mateus, 9. Butch então tomou um banho e foi para o trabalho, agindo como se nada tivesse acontecido. Depois, ele foi para um bar nas proximidades e disse ao dono que seus pais haviam sido baleados. Um grupo de pessoas do bar foi até a casa e encontraram os corpos da família DeFeo. Butch foi entrevistado pela polícia, colocou a cuilpa dos assassinatos em um Mafioso, mas a história não se manteve e ele acabou confessando o crime. Em 21 de novembro de 1975 ele foi condenado a seis penas de prisão de 25 anos. A família Defeo viveu na infame casa situada no número 112 da Ocean Avenue, em Amityville, Nova York, que é o local do romance e do filme, "Terror em Amityville", onde o massacre DeFeo desempenha um grande papel nas histórias sobre a casa ser mal assombrada.  
 

Aproveita que você ja esta aqui e assista um dos meus vídeos. É rapidinho!!!



Se gostou, se inscreva em meu canal! Só clicar em "subscribe" ai embaixo.

←  Anterior Proxima  → Página inicial
Postar um comentário